Lv 10 – 12

Lv 10: 1 – 2 – “Nadabe e Abiú, filhos de Arão, tomaram cada um o seu incensário,  e puseram neles fogo, e sobre este incenso, e trouxeram fogo estranho perante a face do Senhor, o que lhes não ordenara. Então, saiu fogo de diante do Senhor e os consumiu; e morreram perante o Senhor.”

Quando Deus rejeita a oferta de Caim já fica claro que Deus não quer as “boas idéias” do homem. O homem gosta de inovar, sair da rotina, ser criativo e muito disso é característica que Deus mesmo deu ao homem, mas não se pode querer dar um “jeitinho” nos mandamentos de Deus. Ver um mandamento claro na bíblia e achar que “não é bem assim” ou querer usar meias verdades e textos fora de pretextos para tentar um discurso mais atraente. Por exemplo:

“O sangue de Jesus nos purifica de todo pecado”

É fácil encontrar esse adesivo em carros, mas talvez pouca gente saiba que existe uma condição para essa promessa. O texto de I Jo 1: 7 diz “Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado.” Ou seja, essa verdade só é verdade se a condição for cumprida.

É preciso temer a Deus no relacionamento com Ele, ao observar e cumprir seus mandamentos, ao pregar o evangelho e em todo o tempo. E nossa preocupação não é querer enfeitar o evangelho com o objetivo de facilitar a porta de entrada. Jesus disse que a porta e o caminho que conduzem para a vida são estreitos e vale observar que mesmo assim o preço que pagamos é muito baixo! Entregamos nossas vidas a Deus, mas ganhamos a vida de Cristo em nós. Nada se compara a isso.

Que sejamos como Noé e Moisés ao construir a Arca e o tebernáculo respectivamente como Deus ordenara ou como Abel que ofereceu oferta agradável a Deus. Que não sejamos como Caim, Nadabe ou Abiú, que achavam que podiam inventar algo novo. Façamos exatamente o que Deus nos ordenou: tudo que Jesus fez, a gente faz; o que Ele não fez, a gente não faz. Ele é o nosso ponto de referência.