I Co 1 – 4

I Co 4: 16 – “Admoesto-vos, portanto, a que sejais meus imitadores.”

Paulo não era perfeito, mas ele imitava Cristo, por isso que ele sabia que podia falar “sede meus imitadores” (I Co 11: 1), pois ele era um exemplo do que Jesus esperava que seus discípulos fizessem. Num breve discurso, Paulo diz:

“Até a presente hora, sofremos fome, e sede, e nudez; somos esbofeteados, e não temos morada certa, e nos afadigamos, trabalhando com as nossas próprias mãos. Quando somos injuriados, bendizemos; quando perseguidos, suportamos; quando caluniados, procuramos conciliação; até agora, temos chegado a ser considerados lixo do mundo, escória de todos.” (I Co 4: 11 – 13)

O que fazemos quando somos esbofeteados, injuriados, perseguidos ou caluniados? Será que temos a reação contrária de pagar o mal com o bem (Romanos 12: 19 – 21)? Se Jesus tivesse tido nossa reação natural em pelo menos uma das várias injustiças que sofreu tudo teria se perdido. Graças a Jesus pelo seu exemplo e pela sua vida, glória a Deus pelo Espírito Santo que capacitou homens como Paulo de viverem o exemplo de Cristo. Mas o mesmo Espírito Santo esta a disposição da igreja e Deus quer derramá-Lo sobre seu povo para que sinais e maravilhas aconteçam. Precisamos nos dispor e agir radicalmente como discípulos. Nossa sina é ser considerados lixo do mundo, escória de todos, mas grande será o nosso galardão. Nos importa ser reconhecido diante de Deus somente.