I Sm 11 – 13

I Sm 12: 23 – “Quanto a mim, longe de mim que eu peque contra o Senhor, deixando de orar por vós; antes, vos ensinarei o caminho bom e direito.”

Samuel lembra o povo de tudo o que Deus havia feito desde que Israel havia sido liberto da escravidão do Egito, como que o Senhor havia sido benigno e fiel ao seu povo e como o povo fora infiel, se prostituindo com outros deuses, como Deus levantou homens que livrassem os israelitas das mãos dos seus inimigos. Mas mesmo assim o povo quis que fosse levantado um rei que governasse sobre eles.

“Vendo vós que Naás, rei dos filhos de Amom, vinha contra vós outros, me dissestes: Não! Mas reinará sobre nós um rei; ao passo que o Senhor, vosso Deus, era o vosso rei.” (I Sm 12: 12)

Deus era o rei daquele povo. Não era da vontade de Deus que um rei fosse levantado, mas isso foi concedido ao povo por sua muita insistência. Temos que cuidar com aquilo que pedimos a Deus. Temos que ter um coração totalmente esvaziado dos nossos sonhos e abrir mão de tudo. Assim Deus nos dará a conhecer o seu coração para que oremos sempre de acordo com sua vontade e não segundo nossos interesses.

Mesmo se levantando um rei sobre Israel, Deus não abandona seu povo e diz que seria com eles se temessem e servissem ao Senhor (I Sm 12: 14) e então Samuel mais uma vez exerce seu sacerdócio dizendo que não deixaria de orar pelo povo e que isso seria pecado.

Hoje como discípulos de Cristo, temos que exercer bem nosso papel de profetas, falando de Deus para os homens, proclamando o evangelho, pregando as verdades de Cristo (ver exemplo de Samuel em I Sm 3: 19). Da mesma forma, temos que exercer nosso papel de sacerdotes, falando dos homens para Deus, orando, intercedendo e clamando pela igreja, pelas autoridades, pelos incrédulos, entendendo que deixar de fazer isso é pecado.